Corona Crise: Plano de trabalho para o enfrentamento de mercado durante e após a epidemia

Muitos empresários estão extremamente preocupados com o eminente perigo que seus negócios estão correndo, ocasionado pelo momento da qual passamos. Algo normal, e extremamente compreensível.

Atualmente, existem vários cenários no mercado brasileiro: negócios que estão começando seus desafios, outros mais estabilizados em seus segmentos, alguns em momentos de investimento e expansão, e muitos que já estavam com a corda no pescoço.

Do mesmo modo, existem variados modelos de negócios: os que vendem informação, os que comercializam de modo não presencial, bem como aqueles que dependem mais do contato presencial que os demais, como salão de beleza, barbeiros, etc… De fato, não será fácil para ninguém! Alguns precisarão se reinventar e procurar alternativas ou outras fontes de renda, pois uma longa paralisação, ou retração da economia, poderá trazer consequências muito sérias, especialmente para negócios de pequeno a médio porte.

A pergunta que todo empresário quer a resposta: Como agir durante os próximos meses do negócio?

1. Ativar a gestão de crise

Em suma, os próximos meses exigirão dos gestores a habilidade ou a implementação de comitês de crise em suas organizações, com a finalidade macro de:

a) Executar de maneira ampla o propósito da organização;
b) Proteger seus colaboradores, clientes e fornecedores;
c) Fortalecer a identidade e seus valores organizacionais;
d) Preservar o clima interno, com maior mobilização e engajamento;
e) Rapidez de resposta para a redução de impactos e danos;
f) Estimular a colaboração, o potencial criativo e aprendizado contínuo;
g) Fortalecer o setor comercial (manutenção/retomada de mercado);

2. Avaliar os efeitos dos próximos meses

Antes de sair criando estratégias e pensando em mil soluções, é preciso ter o conhecimento do tamanho do problema e seus respectivos impactos aos negócios. É o velho ditado: Não adianta colocar a carroça na frente dos bois.

Desta forma, alguns exemplos de situações reais que ocorrerão nos próximos meses:

• Encolhimento das vendas;
• Cancelamento de pedidos;
• Redução do mercado lojista;
• Problemas com disponibilidade;
• Comprometimento dos prazos;
• Aumento no risco de inadimplência;
• Mudanças no habito de consumo;
• Alteração da perspectiva comercial;

3. Identificar os possíveis impactos nos stakeholders do negócio

Após avaliado e mensurado o tamanho do problema, e dos respectivos impactos no mercado e nos negócios, em seus diversos níveis, é preciso avaliar, levando e consideração todos os stakeholders do negócio, o que cada um espera da empresa diante deste novo cenário, de acordo com modelo abaixo:

Clique aqui para fazer download deste template.

Desta forma, possibilitando o mapeamento geral dos impactos, premissas e expectativas de cada stakeholder, permitindo a criação de estratégias customizadas.

4. Estruturação de ações de curto prazo por stakeholder

O tempo de resposta precisará ser rápido. Planejar ações de médio a longo prazo é o ideal para a construção sólida de um processo de planejamento estratégico, entretanto, entraremos em situação atípica, onde será necessário a criação de ações rápidas, visando a geração de resultados de curto prazo, com o intuito de sobrevivência, ou ganhar fôlego para a implementação de um planejamento estratégico orientado aos objetivos macro da empresa.

Vale ressaltar que, esta prática jamais poderá ser habitual, pois a solidez de uma organização se constrói com o devido planejamento, contemplando ações de curto, médio e longo prazo. E isto não poderá servir de ‘muleta’ ou ‘desculpa’ para a não implementação de um planejamento estratégico na empresa.

Clique aqui para fazer download deste template.

Algumas ações reais de curto e médio prazo aplicáveis para o momento:

Clientes: Iniciar ou ampliar novos canais de vendas;
Clientes: Gerar novos modelos de vendas;
Clientes: Renegociar pagamentos em risco de inadimplência;
Funcionários: Fornecimento de EPI e reforçar as orientação de prevenção;
Funcionários: Garantir a manutenção do quadro e continuidade operacional;
Fornecedores: Garantir a fidelidade e a manutenção dos contratos e relacionamento;
Fornecedores: Estabilizar a cadeia de suprimentos;
Mercado: Evidenciar o propósito da organização junto ao mercado e clientes;
Sócios: Mapear a exposição da empresa frente à crise;
Sócios: Implementar e informar sobre o plano sistematicamente;

5. Estruturação do plano de comunicação

Mais do que nunca a empresa precisará ter uma plano de comunicação claro e consistente, com canais específicos para o relacionamento com cada stakeholder do negócio, qualificando e direcionando a informação para os devidos interessados, sendo necessário:

a) Mapear os canais de comunicação atuais e disponíveis para utilização (redes sociais, e-mail, website, etc);
b) Definir os canais oficiais para dialogar com cada stakeholder;
c) Definir os responsáveis para cada canal de comunicação;
d) Definir o objetivo da comunicação;
e) Elaborar conteúdos e o “tom” da comunicação para cada interessado;
f) Estabelecer a frequência de comunicação;

Clique aqui para baixar este template.

Conclusão

A partir de agora, iniciamos um período onde o planejamento e a gestão estratégica serão (ainda mais) elementos vitais para quem quer se manter no mercado: Planejamento estratégico, fluxo de caixa e gestão de pessoas serão pontos das quais, quem não tiver, estará em sérios apuros em um futuro breve.

Mais do que nunca, as organizações precisarão atuar sob o prisma da velocidade, pois, com a velocidade das mudanças e da informação, cada dia é crucial para a manutenção de mercado. Por isto, os pilares essenciais que precisarão ser desenvolvidos serão:

  1. Avaliação em tempo real dos efeitos;
  2. Diagnóstico dos impactos;
  3. Criação de ação de curto prazo;

Desta forma, o gestor poderá ter a ciência do que está acontecendo e em como isto impactará na empresa, levando em consideração todos os stakeholders, e assim, tomar as decisões necessárias e adequadas.

Leia, releia e baixe os templates disponibilizados neste artigo. E se quiser conversar um pouco mais sobre isto? Clique aqui e me mande um Whatsapp ou me adicione em sua lista de contatos (48) 99661-3910.

Boa sorte!

Estrategista de negócios, gestor comercial e de marketing com mais de 15 anos de experiência de mercado, e com passagens e projetos por grandes empresas do mercado nacional. Um dos únicos consultores estratégico do Brasil especializado em empresas de moda e confecção, autor dos livros "Arrase em Vendas: Como montar uma estrutura de venda lucrativa para o seu negócio" e "O guia prático e completo para a criação de incríveis campanhas de moda ". Colunista em dezenas portais de negócio e marketing do país, e autor do livros "Arrase em Vendas." e "O guia prático e completo para a criação de incríveis campanhas de moda", e co-autor do livro "O manual da contratação perfeita.".

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *